top of page
capa mais bici.png

mais bicicletários

são paulo, brasil           urbanismo               em andamento

para a promoção de uma mobilidade urbana sustentável, insere-se a importância da compreensão da bicicleta como modal de transporte na rede de mobilidade das cidades, de modo que seja integrada ao sistema por meio de rede cicloviária acessível e de infraestrutura de estacionamento e zeladoria - os bicicletários. 

 

na cidade de são paulo, foi estabelecido pela lei SICLO (Lei nº16.885/2018) e pelo plano de mobilidade (PlanMob 2015) a meta do município em cumprir, até 2024, a implantação de bicicletários em todas as estações e terminais de transporte coletivo. esse desafio é reforçado pelo plano dem (2021-2024), que insere como meta implantar bicicletários em todos os terminais urbanos de ônibus municipais. porém, a cidade está longe de atingir esse objetivo: atualmente apenas 48 dos 162 locais elencados (30%) têm bicicletários. Dos bicicletários existentes, destaca-se a superlotação e não atendimento da demanda de muitos bicicletários em operação, tanto na cidade quanto na metrópole paulista. nesse contexto, observa-se que muitos usuários acabam estacionando suas bicicletas em grades ou árvores próximas, sem a garantia de ter suas bicicletas ao retornarem, devido ao alto número de furtos.  

 

dessa forma, com a finalidade de promover a intermodalidade, constituir infraestrutura para a promoção do uso da bicicleta e incentivar mais pessoas a pedalar, o instituto aromeiazero, em parceria com ciclocidade e com patrocínio do itaú unibanco, desenvolve o projeto “mais bicicletários”, que propõe-se a constituir um bicicletário próximo a estação de alta capacidade em área com altos índices de vulnerabilidade, nas bordas da cidade de são paulo.

 

participação projeto: coordenação geral

em instituto aromeiazero, em parceria com a ciclocidade e patrocínio do Itaú unibanco

bottom of page